SIEMACO-SP marca presença na CONCLAT 2022; pauta unificada será encaminhada aos candidatos à Presidência da República

Na manhã desta quinta-feira (7), as centrais sindicais de todo o país se reuníram em São Paulo, na Conferência Nacional da Classe Trabalhadora (CONCLAT 2022), evento em que foi debatido e homologado o documento unitário com as principais reivindicações da classe trabalhadora e que será entregue a todos os candidatos à Presidência da República.

A CONCLAT 2022, um dos mais importantes eventos do ano na agenda trabalhista, teve participantes do Brasil inteiro. A conferência aconteceu em formato híbrido (presencial e virtual), com transmissão ao vivo pelo YouTube. O evento reuniu dirigentes sindicais e militantes  da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Força Sindical, CUT, CSB, CTB, Nova Central, Conlutas, Intersindical e Pública.

Uma comitiva formada pelo presidente do SIEMACO São Paulo, André dos Santos Filho, do tesoureiro do sindicato e presidente da CONASCON, Moacyr Pereira, do diretor Elmo Nicácio (Lagoa) e das diretoras Daniela Sousa e Silvana Souza, marcou presença do evento.

“Participar deste evento é uma obrigação do sindicalismo brasileiro. Nós estamos aqui representando categorias essenciais para a nossa sociedade. Trabalhadores e trabalhadoras que são invisibilizados em muitos momentos e que merecem ser ouvidos. E estamos aqui para dar voz e vez a eles”, disse André.

“A CONCLAT é um instrumento essencial ao sindicalismo plural, que valoriza o diálogo entre todas as frentes de representação dos trabalhadores e das trabalhadoras. Nele embasamos nossa voz para mostrar aos presidenciáveis nossa posição”, completou Moacyr Pereira.

Segundo os dirigentes sindicais, a CONCLAT é um instrumento essencial ao sindicalismo plural, que valoriza o diálogo entre todas as categorias que compõem a classe trabalhadora.

O presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, e o presidente da UGT-SP, Amauri Montágua, junto de outros dirigentes sindicais, também participaram do evento, ressaltando que o objetivo maior, além de protestar contra o governo Bolsonaro, foi aprovar a pauta única de ações focadas no desenvolvimento do país.

Ricardo Patah ressaltou que entre os objetivos principais da CONCLAT 2022 estavam a aprovação da pauta da classe trabalhadora, para que o movimento sindical possa debater e discutir mudanças importantes no mundo do trabalho e a consolidação da união de forças para mudar os rumos da política federal brasileira.

Amauri Mortágua destacou que a CONCLAT 2022 mostrou a que veio. “Unificou a luta do movimento sindical por Democracia, Direitos, Emprego e Vida. O evento encaminhou todas as condições de enfrentamento conjunto para a tramitação da Pauta dos Trabalhadores. Valeu a unidade. Vale a luta!”, emendou.

As lideranças sindicais que compuseram a conferência destacaram que a iniciativa, pautada na unidade de ação e luta, é fundamental para o enfrentamento e para superar a gravíssima crise política e financeira que atinge o país, a qual fragiliza o sistema produtivo, precariza as condições de trabalho, arrocha os salários, provoca desemprego, jogando milhões na pobreza e na miséria, destruindo o meio ambiente e atacando a democracia.

* Pelos jornalistas Alexandre de Paulo (MTB 53.112/SP) e Fábio Busian (MTB 81.800/SP)

** Com informações da UGT Nacional e UGT SP; Fotos: Divulgação

Assista abaixo como foi a CONCLAT 2022: