AÇÕES SINDICAIS

Palavras e atitudes assertivas geram resultados positivos

27/06/2018



Pensar estratégias, direcioná-las e aplicá-las no trabalho depende do domínio de muitas ferramentas, inclusive da inteligência emocial. Para falar sobre esta capacitação, o Siemaco convidou os líderes do segmento de portaria/controladoria de acesso para assitir à palestra "A Neurociência Aplicada em Departamentos Operacionais", na tarde de terça-feira (26).

Reunidos no auditório do Siemaco, trabalhadores (supervisão e operação) de pelo menos 10 empresas aprenderam que fazer as perguntas chaves, no momento pontual, gera resultados imediatos. "Sabemos o que fazemos, mas é preciso entender o outro", alertou o consultor sindical Toni Ketendjian.

"Quando nos tornamos atenciosos com os outros passamos a ser observados e quase sempre admirados". Explicando que o trabalho em equipe gera comprometimento mútuo, alertou para promessas impossíveis de serem realizadas (contratos), omissões que desestimulam e sobretudo falta de atitudes que geram ruídos prejudiciais.

Diálogo é essencial

Resumindo, a neurociência estuda a conexão cerebral ligada às áreas do conhecimento e relacionamento. Quando aplicada em treinamentos, gera resultados surpreendentes.  Por exemplo: quando há antecipação (aplicação ou problemas) é possível planejar (ações e atividades), resolver (demandas e conflitos) e obter resultados (otimizar o serviço). Para isso, o supervisor precisa se colocar no lugar do seu colaborador, do cliente, das necessidades da empresa e tomar decisões baseadas no todo.

Parece óbvil, mas Toni lembrou que um supervisor precisa supervisionar, conhecer em detalhes o perfil dos profissionais, valorizar cada um deles e se comprometer. Inclusive, refletir com a sua equipe a função de cada um e quanto eles custam para a empresa. Depois disso, treinar e capacitar e durante o treinamento inserir conceitos básicos de vida, educação e comportamento.

Siemaco cria pontes com o trabalhador e empresa através da capacitação e reciclagem profissional

Ao recepcionar os convidados, a diretora Silvana Souza reforçou que o sindicato é a casa do trabalhador, que todas as ações sindicais são realizadas a partir das contribuições e que os líderes são fundamentais para multiplicar o conhecimento sobre tudo o que é realizado pelo sindicato.  "Queremos que vocês questionem, entendam os porquês e somem a nós para juntos fazermos a diferença nas relações de trabalho", afirmou.

Filiado ao sindicato há um ano, Renan Araújo da Silva, 26 anos, desligou-se da empresa recentemente. Com três anos de experiência em portaria, ele não se afastou do sindicato, muito pelo contrário. "Estou me capacitando para me qualificar ainda mais para uma nova oportunidade de trabalho", explicou.

Contou que já fez vários cursos no Siemaco e foi muito participativo durante a palestra. Principalmente, compartilhando problemas vivenciados na rotina da portaria e buscando soluções para resolvê-las no futuro.

Formada em logística, Maria Fernanda Nogueira da Silva, 22 anos, também interagiu bastante. Controladora de acesso da empresa Protec, ela busca crescer profissionalmente.

"Estou me qualificando para a supervisão", confidenciou contando que vislumbra uma possível vaga que deve se abrir na empresa. Apesar de muito jovem, Fernanda reconhece o papel fundamental do comportamento e das palavras ditas ou não. Afinal, a própria cliente a recomendou para a última promoção.

"Eu trabalhava como auxiliar de limpeza e após três meses ela me chamou e disse que eu tinha perfil para controladora de acesso. A indicação da cliente, é claro, fez toda a diferença para a tomada de decisão, pela empresa.

 

 

 

 

Categorizado em: Siemaco em Gestão,