AÇÕES SINDICAIS

Comunidade católica reunida com o sindicato para falar sobre Violência Doméstica

11/07/2018

Sábado a tarde (7), na Paróquia Sagrada Família, a comunidade do Jardim Antartica se reuniu para ouvir o que a diretora do Siemaco, Andrea Ferreira, tinha para dizer. O encontro, que integra as ações sindicias do Projeto Mentoria Roberto Santiago, iria debater um problema social recorrente entre a população: a violência doméstica.

Numa parceria com o Pároco responsável, o objetivo foi conscientizar para prevenir e combater a violência doméstica, que vitima não apenas mulheres, mas as crianças e os agregados. Lá, Andrea descobriu que além da questão cultural, o desemprego e a falta de educação formal também são agentes causadores da violência  na família.

Andrea relatou exemplos  de famílias que vivenciaram o drama no passado e provou que é possível "dar a volta por cima". Sem buscar culpados, mostrou que a violência doméstica começa num olhar, com um puxão ou uma palavra agressiva.

Explicou que é preciso estar atento aos sinais: a agressão verbal evolui para os maus tratos. Além disso, que não são apenas as mulheres que sofrem, mas principalmente os filhos que, no futuro, irão replicar o modelo agressivo vivenciado em casa, como algo normal.

Sobretudo, explicou como denunciar a violência doméstica: não se calar e procurar ajuda. Resumiu a Lei Maria da Penha e orientou como a vítima pode ser amparada legalmente.

Pobreza que vem da falta de oportunidades

O desemperego, que vitima quase 14 milhões de brasileiros é uma das causas da violência doméstica no bairro, além do alcoolismo e da cultura, que ainda preserva o direito do marido ser o "dono" da mulher.  Tentando ajudar as famílias, Andrea contatou todos os presentes e preencheu cadastros que foram entregues à Central de Vagas do Siemaco. A ideia é conseguir uma oportunidade de emprego formal para os moradores da comunidade

Exemplificando, ela cita o exemplo da dona de casa Rosângela. Mãe de sete filhos, ela nunca conseguiu uma assintura da Carteira de Trabalho. Assim como ela, a maioria das famílias assistidas pela Paróquia sobrevive de bicos e doações.

Andrea se comoveu com a realidade vivida. Apoiada pela diretoria do Seemaco, e através do Projeto Mentoria Roberto Santiago, pretende contriubuir para minimizar os danos, primeiro com informações sobre saúde e direitos, depois com ações para aumentar a empregabilidade.