AÇÕES SINDICAIS

Sétima edição do ContrataSP, evento destinado para Pessoas com Deficiência, ocorre na próxima quinta-feira

10/07/2019



A 7ª edição do ContrataSP – Pessoa com Deficiência será na próxima quinta-feira, dia 18 de julho, das 8h30 às 18h, na Universidade Mackenzie, Rua da Consolação, 930 (ao lado da estação Higienópolis-Mackenzie da linha Amarela do Metrô). A ação gratuita é organizada pela Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED) e Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SMDET).

 

As empresas interessadas em contratar pessoas com deficiência ou reabilitados do INSS podem participar e fazer seu cadastro através do site http://bitly.com/ContrataSP7empresas até o dia 12/07/2019.

 

O ContrataSP integra o Programa de Inclusão Econômica (PRIEC), iniciativa da Prefeitura de São Paulo para a inserção de públicos vulneráveis no mercado de trabalho ou no empreendedorismo na região onde moram. Empresas de vários segmentos participam do evento, onde serão disponibilizadas vagas de emprego para profissionais com deficiência e reabilitados do INSS. Os interessados devem comparecer com currículos e documentos pessoais (RG, CPF, Carteira de Trabalho, laudo ou certificado de reabilitação profissional). 

 

As outras edições receberam mais de cinco mil inscritos e, até a última edição, 10% dos participantes já conseguiram emprego pelo projeto. Ao contrário do que muitas empresas afirmam sobre a falta de qualificação de profissionais com deficiência, um levantamento feito durante o ContrataSP apresenta outras informações. De acordo com o relatório elaborado pelo Observatório Municipal da Pessoa com Deficiência, 49,4% dos profissionais já concluíram o ensino médio e 14,9% deles têm ensino superior completo, ou seja, a escolaridade não é um problema.

 

Segundo dados do Censo 2010 do IBGE, atualizados em 2017, na cidade de São Paulo vivem 810 mil pessoas com deficiência. A Lei de Cotas (Lei Federal nº 8.213) sancionada em 1991 exige que as empresas com mais de cem funcionários destinem de 2% a 5% dos postos de trabalho para pessoas com deficiência, porém, ela nem sempre é cumprida.