AÇÕES SINDICAIS

Governo de SP prorroga quarentena por 15 dias, com abertura progressiva em diferentes regiões do estado

27/05/2020



O governo de São Paulo anunciou, no início da tarde desta quarta-feira (27), a prorrogação da quarentena por 15 dias no estado, com flexibilizações progressivas, que serão feitas levando em conta as características de cada município.

"Estamos anunciando a retomada consciente. A partir do dia 1º de junho, por 15 dias, manteremos a quarentena, porém, com uma retomada consciente de algumas atividades econômicas no estado de São Paulo", disse o governador João Doria (PSDB), durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul da capital.

O plano, denominado pelo governo como "retomada consciente", prevê cinco etapas. As regiões serão classificadas em fases de acordo com os critérios definidos pela secretaria estadual da Saúde e pelo Comitê de Contingência para Coronavírus.

"Ela será possível nas cidades que tiverem redução consistente do número de casos, disponibilidade de leitos em seus hospitais públicos e privados e estiverem obedecendo o distanciamento social nos ambientes públicos, além da disseminação e do uso obrigatório de máscaras", afirmou Doria.

Moacyr Pereira, presidente do SIEMACO São Paulo​, afirma que o sindicato está preparado para a reabertura, trabalhando para atender todas as categorias que representa, bem como se adequou às diretrizes passadas pelo Governo do Estado de SP. "Estamos distribuindo kits com máscaras e álcool gel gratuitamente para os trabalhadores e as trabalhadoras, em todas as regiões da cidade de São Paulo. Conversamos diariamente com as empresas também, para saber mais sobre procedimentos e medidas tomadas, bem como nossas equipes estão atendendo remotamente todas as demandas, garantindo os direitos presentes na Convenção Coletiva de Trabalho de cada categoria", disse.

A cidade de São Paulo vai se enquadrar na cor laranja do novo modelo de quarentena do estado. A definição estabelece que setores da economia que desejam a reabertura devem apresentar planos com protocolos para a Prefeitura. Caberá à gestão municipal definir quem e quando poderá reabrir.

A regiões serão avaliadas periodicamente de acordo com os indicadores de saúde, verificando se cumprem os critérios para avançarem a uma fase de maior relaxamento a cada 14 dias ou voltar para uma fase mais restrita a cada 7 dias (ou imediatamente, caso haja evidência da piora da situação).

Taxa de isolamento, número de casos da doença e taxa de ocupação dos leitos de UTI são os principais critérios.

 

Pelo plano, só poderão iniciar a retomada das atividades as cidades que tiverem taxa de isolamento de pelo menos 55%, com redução no número de novos casos por 14 dias seguidos, e que mantiverem ocupação nos leitos de UTI inferior a 60%.

Mesmo assim, Doria anuncio que deve manter o distanciamento social nos ambientes públicos e o uso obrigatório de máscaras.

 

Mortes e casos

O estado de São Paulo chegou a 6.423 mortes causadas pelo novo coronavírus, segundo boletim da Secretaria de Estado de Saúde divulgado nesta terça-feira (26). Foram confirmadas 203 mortes em 24 horas.

Há 86.017 pessoas com diagnóstico de Covid-19 no estado. Das 645 cidades de São Paulo, 511 têm pelo menos um caso confirmado e 244 ao menos um óbito causado pela doença.

Os pacientes hospitalizados chegaram a 12,2 mil internados nesta terça. Desses, 4.779 estão na UTI e 7.506 em leitos de enfermaria. 17.589 altas de pacientes que tiveram confirmação da doença já tiveram alta dos hospitais de São Paulo.

 

Foto: Rosa Rovena/Agência Brasil