AÇÕES SINDICAIS

SIEMACO-SP recebe Prêmio Nelson Mandela da Secretaria Municipal de Direitos Humanos

16/02/2021

Na última quinta-feira (11), a diretora do SIEMACO São Paulo, Andrea Ferreira (Ferreirinha), assistente social e dirigente sindical, recebeu em nome do sindicato a 1ª edição do Prêmio Nelson Mandela, em reconhecimento ao trabalho do sindicato em prol da igualdade social e racial no mercado de trabalho. Uma estatueta foi encaminhada aos homenageados.

A premiação foi entregue pela Prefeitura de São Paulo, por intermédio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), em cerimônia on-line. Ferreirinha desempenha um trabalho sindical e social voltado tanto à área da saúde quanto da igualdade social e racial.

O evento foi transmito em tempo real pelas redes sociais. Clique aqui e assista a íntegra da cerimônia.

Com abertura e mediação de Bruno Pimentel, após execução do Hino da Negritude, a secretária executiva adjunta de Igualdade Racial da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, Elisa Lucas Rodrigues, deu início aos trabalhos enaltecendo a importância da “educação para mudar o mundo”, parafraseando o patrono do prêmio, Nelson Mandela. “O SIEMACO-SP tem uma capilaridade muito grande nos serviços que presta. De acordo com o perfil dos trabalhadores em Asseio, Conservação e Limpeza Urbana de SP, lançado pelo sindicato em 2012 e elaborado pelo DIEESE, 73% dos trabalhadores desse sindicato deste sindicato se declaram pretos e pardos. A entidade tem inúmeros trabalhos sobre a promoção da igualdade racial no mercado de trabalho, bem como na luta da inclusão da igualdade de gênero e raça nas negociações coletivas da categoria”, disse.    

Ferreirinha também enalteceu a trajetória do líder Nelson Mandela e do trabalhador que representa. “É um prazer imenso estar com vocês. Em nome dos trabalhadores e da diretoria do sindicato, que representa a categoria que integro, agradeço à secretaria de Direitos Humanos pelo reconhecimento do nosso trabalho. Nossa categoria forma a base da pirâmide social. Antes invisibilizados, agora na pandemia da Covid-19 provamos que o nosso trabalho é essencial à sociedade. O trabalhador da base precisa da saúde do próprio corpo para desempenhar bem a sua função, por isso merece todo o nosso respeito e consideração”,disse.

Também participaram do evento a secretária de Justiça da Cidade de SP, Eunice Prudente; Rosangela de Paula, coordenadora de Política para a População Negra e Indígena do Estado de SP; Diva Zitto, representante da OAB-SP e do Movimento da Mulher Negra Brasileira (MMNB); Gil Clarindo, presidente do Conselho Estadual de Participação e Desenvolvimento do Movimento da Comunidade Negra do Estado de SP.  

Fora O SIEMACO-SP, também foram homenageadas as instituições: Grêmio Recreativo Cultural Social Escola de Samba Unidos de Vila Maria e Associação Pró-Falcêmicos (Aprofe).  

Ao final dos pronunciamentos, o Hino da África do Sul foi executado pelo coral da Faculdade Zumbi dos Palmares.