AÇÕES SINDICAIS

Dia Mundial da Limpeza Urbana reconhece a importância do trabalho da coleta e da varrição

27/08/2021



Hoje, dia 27 de agosto, comemoramos o Dia mundial da Limpeza Urbana. É de praxe, nessa data, muitas pessoas em todo o mundo se reunirem para realizar trabalhos voluntários, como limpar monumentos, varrer praças e parques, ou mesmo recolher lixo das praias. Com a pandemia, para evitar aglomerações e consequentemente a disseminação da covid-19, muitos eventos não estão ocorrendo, mas nem por isso vamos deixar de homenagear os trabalhadores e trabalhadoras da Limpeza Urbana, que em momento algum pararam as suas atividades e seguem mantendo as cidades limpas, garantindo saúde e bem estar à população.

  

 

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, estes englobam os domiciliares, originários de atividades domésticas em residências urbanas, e os resíduos de limpeza urbana, originários da varrição, limpeza de logradouros e vias públicas e outros serviços de limpeza urbana.

"Sempre lutamos por melhores condições e trabalho e por uma melhor qualidade de vida para os trabalhadores e trabalhadoras da Limpeza Urbana, pois sabemos das dificuldades dessa categoria no dia a dia, mas também por respeitarmos muito um serviço extremamente essencial para nossa sociedade. Durante essa pandemia, que nossos guerreiros e guerreiras não pararam um dia sequer, ficou muito claro para a população o quanto o serviço de coleta e varrição precisam ser mais valorizados por todos os paulsitanos", disse André dos Santos Filho, presidente do SIEMACO São Paulo. 

Em 2018, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe) foram geradas no Brasil 79 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos. Só no Estado de São Paulo são mais de 38 toneladas de lixo por dia, segundo o Plano Estadual de Resíduos Sólidos, de 2014. É uma quantidade muito grande, que traz diversos problemas na hora de se fazer a disposição final. Ou seja, mesmo que seu lixo seja coletado de sua casa, nem sempre ele vai para o lugar mais adequado para o meio ambiente, uma vez que muitas cidades ainda depositam seus resíduos em locais inadequados, como os lixões.

Um ambiente sujo é sinônimo de proliferação de doenças. Assim, a limpeza urbana é fundamental para garantir a saúde pública. O Brasil ainda tem um longo caminho a percorrer buscando a universalização da coleta, o aumento dos municípios que fazem programas de coleta seletiva e compostagem e dando um destino ambientalmente correto aos rejeitos.

"Pensar em como melhorar o serviço e a segurança de quem está na linha de frente da Limpeza Urbana, é isso que devemos ter como meta. Tanto o SIEMACO São Paulo e a CONASCON (Confederação que representa trabalhadores da Limpeza Urbana do Brasil) tem essa visão.Discutir Norma Regulamentadora, convenções coletivas fortes, a qualidade do trabalho e a proteção de quem exerce a atividade. Pensar a Limpeza Urbana é bem mais que só recolher lixo, é todo um processo e um ciclo complexo. Por isso, nosso trabalho sindical, de representatividade, é muito intenso", explica Moacyr Pereira, diretor Tesoureiro do SIEMACO-SP e presidente da CONASCON.  

Na tarefa de preservar o ambiente em que vivemos o poder público e a população devem trabalhar em conjunto. Por isso, além de cobrar dos governantes a coleta de lixo regular e ações para o tratamento e gestão de resíduos sólidos, a população também precisa se conscientizar e não jogar lixo na rua, e mesmo repensar como anda a geração de lixo em casa.

 

*Com informações do Portal de Educação Ambiental do Governo do Estado de SP; Fotos: Secom Prefeitura de São Paulo

Categorizado em: Ações Sindicais, Geral, Limpeza Urbana,